quinta-feira, 24 de janeiro de 2013


Desenlace

O que rima quando finda
é uma cama menos vazia
um luto esbranquiçado
e o sorriso que não pude
te dar na despedida.

O que rima mesmo,
quando tudo se finda
é um retrato perdido,
uma porta fechada para o inútil
e as tramas delicadas das cortinas
desvelando,
no paladar das horas,
aquele instante em que o trinco permanecerá imóvel.

O que rima quando amor finda
é um olhar infinito sobre as correntezas,
e uma banda inteira de armário vazia.

{E sobejos de insutilezas:
um lugar a menos na mesa,
menos itens na lista do mercado,
economias nas contas mensais...}

Mas, acima de tudo,
me sobra uma varanda,
por onde vejo o mundo,
e derramo todas as lágrimas
que engulo quieta,
como quem se alimenta de seus próprios ais.

LN
                                        

Um comentário:

  1. [delicadamente

    essa exacta ciência de ser poema.]

    um abraço,

    Lb

    ResponderExcluir